Blog da Vila

Ai, que cheirinho bom

Cultura

Voltada para a formação de baristas, para amantes de café ou para quem deseja empreender, a Vassouras Café Escola é porta de entrada para o universo do café

Escola de formação de baristas, em Vassouras, investe no crescente consumo de cafés especiais no país

POR PATRICIA PALADINO

Fotos de Luísa Avelino

Basta seguir o cheiro de café fresquinho, passado na hora, para encontrar a charmosa casa onde funciona a Vassouras Café Escola. Voltada para a formação de baristas, para os amantes de café especial ou para quem deseja empreender neste mercado, a escola é a porta de entrada para o fantástico universo do café. Instalada na região que, no século XIX, produziu 75% do café consumido no mundo, a escola não poderia estar em lugar melhor.

A variedade dos aromas que guiam até o lugar depende da etapa da torra do café, realizada na própria escola. É surpreendente — e o primeiro contato com algumas das características deste “ouro negro”.

— Primeiro vem o cheiro de mato; depois um cheiro que lembra pão doce… Oito minutos depois, no que chamamos de fase da pipoca, em que os grãos estalam, o cheiro é mesmo de pipoca; para enfim chegar naquele aroma inconfundível do café — explica Rose Margareth, profissional com 35 anos de experiência nos mais diversos segmentos do mercado cafeeiro. Uma das sócias da Café Escola, é a única que mora em Vassouras. Dela partiu a ideia, logo encampada por cinco outros experts, que fizeram parte de uma cooperativa de empreendedores criada por ela em 2006.

Lado a lado, saca de café especial e pilão na Vassouras Café Escola é voltada para a formação de baristas, para os amantes de café especial ou para quem deseja empreender

A escola foi inaugurada em plena pandemia da Covid-19, no segundo semestre do ano passado. Por isso mesmo, desde sempre segue todos os protocolos sanitários. Todas as aulas são agendadas com no máximo cinco alunos por turma, distanciamento regulamentar entre eles, máscara e álcool em gel em abundância. E oferece um leque de opções para vários perfis de alunos.

— São várias vertentes de cursos, cada um voltado para um público específico: quem quer trabalhar como barista, quem deseja empreender, montar uma cafeteria ou um e-commerce ou mesmo para quem é apaixonado por café e quer saber tudo sobre o assunto — explica Rose, membro do Círculo de Café de Qualidade da Associação Brasileira de Indústria de Café (ABIC).

Entrar na escola traz de volta a memória afetiva do café em família da infância. Mas também abre a possibilidade de futuro: entrar em um mercado de trabalho que cresce a cada dia. A formação de baristas vem tomando corpo ao longo dos anos. Surgiu na década de 1990, mas foi reconhecida e inscrita no CBO (Classificação Brasileira de Ocupações) em 2013. É uma profissão em plena expansão, juntamente com o aumento do consumo do café de qualidade superior. O barista transforma o preparo do café em arte e atualmente é tão requisitado em cafeterias como um sommelier em restaurantes.

A procura pela profissão vem a reboque da importância do mercado para o país. Segundo dados do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), a safra de 2020 foi recorde, atingindo 63 milhões de sacas, o que significou uma participação de 40% do mercado mundial (considerado o consumo interno e exportação para cerca de 130 países). E isso em plena pandemia. O Brasil é o maior produtor e exportador de café do mundo e o segundo em consumo da bebida, atrás apenas dos Estados Unidos. Se unirmos todas as lavouras cafeeiras do país, seria possível cobrir 2 milhões de campos de futebol!

Outro ponto a favor é o crescente mercado de cafés especiais, produzidos com padrões sensoriais e físicos com uma pontuação acima de 80, segundo o padrão de qualidade da Specialty Coffee Association (SCA). Não apenas a produção mas também o interesse e o consumo deste tipo de café fizeram surgir nichos no mercado, que agora vem sendo ocupados por profissionais e empreendedores.

Um estudo realizado pelo Sebrae em 2019, com base em dados da Organização Internacional do Café (OIC), constatou um aumento de 4,8% no consumo interno de café entre 2017 e 2018, e de 3,5% em 2021 — e a Região Sudeste é a de maior consumo, com 45% do total no país. Ainda segundo o estudo, o consumo do café premium equivale a 70 mil toneladas/ano (de 5% a 10% do consumo total no setor, de acordo com a safra) e cresce 15% ao ano, enquanto o de café tradicional tem um aumento de 3,5% anualmente. O estudo aponta ainda que existem atualmente 3,5 mil cafeterias no país, e a projeção é de crescimento. Dá para notar que, diante deste mercado tão promissor, a Vassouras Café Escola é um importante incentivador do segmento.

Entre as opções de cursos oferecidos há o Curso Básico Prático de Barista, composto por duas aulas de cinco horas cada uma; e o Curso Regular, com 10 módulos e que dura seis meses, com aulas práticas e teóricas realizadas de segunda a sexta-feira e voltado para quem quer trabalhar como barista.

— Geralmente é procurado por gente mais jovem, que deseja aprender tudo, do zero, e tem a disponibilidade de tempo — explica Rose Margareth.

A Escola ainda promove duas imersões de fim de semana, no salão do Hotel Santa Amália, voltadas para profissionais: a de Classificação e Degustação de Café e a de Análise Sensorial de Café.

Todas as informações e inscrições para os cursos podem ser obtidas pelo telefone (21) 96452-4265, com a própria Rose Margareth.

E ainda há os workshops, procurados principalmente por turistas: no Workshop de Torra, em meia hora a pessoa acompanha a torra presencial na própria escola, desde o grão cru, a explicação sobre as reações químicas que acontecem na máquina, as fases da torra e por fim a moagem. É claro que há a degustação do café absurdamente fresquinho. E o visitante ainda leva um pacotinho para casa.

O Workshop de Método de Preparo do Café é muito curioso: nele Rose propõe uma prova cega de cafés e o prepara por três métodos diferentes, incluindo um drinque gelado. O agendamento e a compra de ingressos (a R$ 35) podem ser feitos através do site da Bom Tempo Turismo (http://www.bomtempo-turismo.com.br/detalhe_fazenda.php?id=54). Acontecem aos sábados e domingos, às 10h, 10h30, 11h, 14h, 14h30, 15h e 15h30.

Nos fins de semana e feriados ali ainda funciona uma cafeteria, com delicinhas e pães de fermentação natural que, claro, harmonizam com o café especial torrado, moído, servido e vendido na própria escola.

Serviço:

Vassouras Café Escola
Endereço: Rua Barão de Vassouras, 20
Telefone: (21) 96452-4265
Instagram: @vassourascafeescola

Detalhes

  • Autor:
  • Data:
  • Categoria: Cultura
Voltar ao topo